Header Ads

Famup e MPPB apresentam projeto de valorização dos catadores e uso inteligente dos resíduos sólidos.


Prefeitos integrantes do Consórcio de Gestão Pública Integrada nos Municípios do Baixo Rio Paraíba (Cogiva) e da quarta região geo-administrativa do Estado conheceram nesta segunda-feira (17), em João Pessoa, o projeto ‘Reciclo -Despertando os Municípios’, apresentado pela Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) e pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB).

O projeto tem como objetivo principal desenvolver um trabalho junto aos catadores de recicláveis de 27 cidades paraibanas, garantindo fonte de riqueza por meio do uso inteligente dos resíduos sólidos.  Cerca de 90% de todo o lixo reciclado no Brasil são coletados pelos catadores, é o que aponta dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

O presidente da Famup, George Coelho, destacou o apoio dos prefeitos como sendo fundamental para que o projeto consiga alcançar seus objetivos. “Estamos contando com o apoio de todos. Eu sei que não é fácil para ninguém essa questão de solucionar o problema do lixão, mas temos que encontrar soluções criativas como esta que o projeto Reciclo nos apresenta. Então, juntos conseguiremos garantir uma destinação mais eficiente para o lixo nos municípios, garantindo dessa forma a geração de emprego e renda, com os catadores, e também a preservação do meio ambiente”, destacou George.

Representando os prefeitos do Cogiva, o prefeito Adjailson Andrade, de Salgado de São Félix, disse que o projeto chega em boa hora para contribuir com a gestões municipais. “Temos muitas dificuldades com essa questão do lixo, em muitos casos por falta de recursos. Estamos construindo possibilidades e peço aqui a união de todos para conseguirmos resolver esse problema do lixo e também de colocar em prática o projeto do Reciclo”, comentou.

Já o prefeito de Cuité, Charles Camaraense, representando os gestores da quarta região geo-administrativa, destacou o trabalho da Famup em questões fundamentais para os municípios, como a do lixo. “Eu sei que é difícil para os municípios, mas temos que nos reinventar e esse projeto apresentado vai nos ajudar a solucionar grande parte do problema do lixo. Nossa região tem uma potencialidade muito grande e vamos conseguir impulsionar isso”, afirmou.

O promotor e coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias do Meio Ambiente do Ministério Público da Paraíba, Raniere Dantas, disse que os municípios hoje perdem dinheiro com o descarte irregular do lixo. “O que a gente chama a atenção é que estamos jogando dinheiro fora. Para se ter uma idéia, se fizer a coleta seletiva de forma adequada, um município com cinco mil habitantes pode gerar renda para catadores em trono de R$ 11 mil por mês. Por isso, estamos ajudando alguns municípios a implementar essa coleta e a Famup chega com esse projeto para somar força”, observou.

Projeto – O projeto foi apresentado pelo secretário Executivo da Famup, Pedro Dantas, e por Normando Vitorino. Também falaram sobre o Reciclo o representante do Instituto Estatístico de Pesquisa Digital, Sérgio Furtado; além de Tarcísio Valério e o pró-reitor de Extensão da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Orlando Vilar.

Estiveram presentes os prefeitos de Pilar, Benício Neto; de Juripiranga, Paulo Dália; de Picuí, Olivanio Dantas; de Frei Martinho, Aido Lira; de Nova Palmeira, Ailton Gomes; de Sossego, Neide Oliveira; e de Barra de Santa Rosa, Neto Nepomuceno. Também prestigiaram a apresentação do projeto os prefeitos Eunice, de Mamanguape, e Nivaldo, de Umbuzeiro.



Início – O Reciclo, que tem início em março e será realizado pela Famup, tem como pilares: educação ambiental, saúde pública, valorização e capacitação dos catadores de recicláveis. Conforme o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, no Brasil, há aproximadamente 800 mil profissionais do tipo em atividade.

O Reciclo contará com envolvimento da sociedade: alunos do ensino fundamental e médio da rede pública e particular de ensino, profissionais das áreas da educação, saúde e também, assistência social.

A Famup atuará a partir de duas ações, a primeira é constituída pela realização de um diagnóstico do perfil demográfico dos catadores de recicláveis e seus familiares, com enfoque nas questões socioeconômicas e educacionais. Traçado o perfil, será possível dimensionar aspectos de ordem quantitativa e qualitativa que servirão como base para as ações seguintes. Já na segunda etapa, será desenvolvida qualificação profissional com foco no trabalho dos catadores.


Por Assessoria de Imprensa



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.